Esta página de web usa cookies. Aceita o uso de cookies externos? Sim Não Saber mais x
Questionário sobre acondroplasia
Desenhámos um questionário com o objetivo de conhecer a população ligada à acondroplasia.
O questionário é opcional e anónimo. Os dados obtidos serão usados para cálculos estatísticos e para perceber melhor a história natural da acondroplasia.
Se quiser preencher este questionário mais tarde, basta clicar no link no topo "Registe-se no BA"

O TA-46 é a abordagem da TherAchon à acondroplasia, e apresenta resultados pré-clínicos promissores.

 

A acondroplasia é causada por uma mutação pontual no gene que codifica o Recetor dos Fatores de Crescimento dos Fibroblastos 3 (FGFR3), levando a que este recetor esteja constitutivamente ativado sem a intervenção das moléculas de sinalização que normalmente são necessárias para o ativar para parar o crescimento, os Fatores de Crescimento dos Fibroblastos (FGFs) (saiba mais sobre esta doença aqui). Uma das propostas para a patogénese da acondroplasia ao nível molecular é que a quando mutação que a causa está presente, a ligação dos FGFs ao FGFR3 estabiliza o recetor, dificultando a degradação do recetor depois da usa ativação (é como a célula normalmente termina a atividade do FGFR3) [1].

O que é o TA-46 e o que faz?

 

Em vez de agir como uma molécula inibidora, como o Vosoritide, que é um análogo de uma molécula inibidora do FGFR3 que ocorre naturalmente no nosso corpo (o CNP, saiba como funciona aqui), o TA-46 é uma forma solúvel do FGFR3 (sFGFR3), que captura os ligandos, os FGFs, antes de eles se ligarem ao FGFR3 [2]. Desta forma reduz o número de ligações entre os FGFs e o FGFR3 que estão à superficie da célula, evitando, pelo menos em parte, a atividade excessiva do recetor.

 

Chondrocytes in the bone A Normal Functioning of FGFR3 B FGFR3 with achondroplasia C SFGFR3 Activity D
Localização dos condrócitos que estão no osso (A), como o FGFR3 funciona normalmente (B), como ele funciona na acondroplasia (C), e o mecanismo de ação do sFGFR3, ou TA-46 (D). Isto acontece à superfície dos condrócitos, nas placas de crescimento dos ossos longos (por exemplo, os fémures). Adaptado de:

 

 

Em que fase do desenvolvimento está o TA-46?

 

Os dados dos estudos pré-clínicos em modelos de ratinhos mostraram a abilidade que o TA-46 tem em recuperar o crescimento ósseo e os defeitos metabólicos associados com a acondroplasia. O sFGFR3 também já recebeu o estatuto de Medicamento Órfão da FDA e da EMA (Agência Europeia do Medicamento). O ensaio clínico de Fase I começou em 2018 e o primeiro participante já recebeu a primeira dose do medicamento. Nos ensaios clínicos de Fase I os participantes que recebem o medicamento são saudáveis, pelo que não se espera que resulte em algum efeito terapêutico. O objetivo é perceber se o medicamento é seguro para consumo humano e para saber a sua farmacocinética [3].

 

No entanto, a Therachon está a planear um estudo sobre a história natural da acondroplasia, em preparação para um ensaio clínico de Fase II. Este estudo não só vai aumentar o conhecimento geral sobre a acondroplasia, como vai permitir o estabelecimento de valores de base para melhorias no estado geral de saúde, tais como a taxa de crescimento [4].

 

Fontes

 

 

  1. Cho, J.Y., et al., Defective lysosomal targeting of activated fibroblast growth factor receptor 3 in achondroplasia. Proc Natl Acad Sci U S A, 2004. 101(2): p. 609-14.
  2. Therachon. Research. 2017  [cited 2017 25/05].
  3. Therachon Announces Dosing of First Subject in Phase 1 Clinical Trial Evaluating TA-46, a Novel Investigational Therapy for the Potential Treatment of Achondroplasia, Business Wire [cited 23/06].
  4. Therachon Announces Start of Natural History Study in Children with Achondroplasia, Business Wire [cited 23/06].

 

Para ver este site precisa do Internet Explorer 8 (ou uma versão mais recente)
ou outro browser.


Obrigado.